RUI OLIVEIRA

1964

28/09/1964, nasceu, no Porto.

Actor profissional desde 1986, colaborou com as companhias Seiva Trupe, Teatro de Marionetas do Porto (de 1990 a 2000, sob a orientação de João Paulo Seara Cardoso), Pau e Tela (Limite Zero),  Ensemble – Sociedade de Actores, Teatro Nacional de S. João, Teatro O Bando, Teatro da Palmilha Dentada, Atitudes (Óscar Branco) e ACARO.

Participou em muitos Festivais Nacionais e Internacionais de Teatro na Polónia, Áustria, República Checa, Alemanha, França, Inglaterra, Espanha, Brasil e Canadá, destacando-se  o prémio de melhor espectáculo na edição de 2000 do World Festival of Puppet Art em Praga, com a peça “Nada ou o silêncio de Beckett”, do teatro de Marionetas do Porto e a participação em duas edições do Festival Mundial de Marionetas de Charleville-Mézières.

Em 2001 foi fundador da ACARO – companhia de teatro, tendo encenado vários espectáculos da companhia e em 2003 do espaço CONTAGIARTE, no Porto, onde assume o cargo de director técnico e artístico.

Faz dobragens de desenhos animados há cerca de 30 anos. Entre centenas de outros trabalhos, é a voz portuguesa da Zebra Marty da trilogia Madagáscar, do Génio do filme Alladin, da catatua Nigel do filme Rio, do Joker das séries de animação Batman e Justice League, e também do Dick Dastardly da série Wacky Races.

Em televisão, participou como actor em OS ANDRADES, CLUBE PARAÍSO, O MOTIM (peça de teatro filmada pela RTP), OS NOSSOS DIAS. Como marionetista participou em NO TEMPO DOS AFONSINHOS, série de marionetas produzida pela RTP PORTO. e episódio piloto da série A ESCOLINHA DO JEREMIAS, para a televisão Angolana.

No cinema, participou em várias curtas metragens, tais como:
1111, de Costa e Silva, produzida pela Filmógrafo.
UM DIABÓLICO JOGO DE CARTAS, O HOMEM DA TELEVISÃO, ambas de António Pires.
O HÒSPEDE, de Hugo Valter Moutinho,
NOITE GÉLIDA EM CASTELO BRANCO, NOITE FRIA EM CASTELO BRANCO, ambas de Luís Diogo, produzidas pela Filmógrafo.

… e em longas metragens, como:

VALE ABRAÃO, de Manoel de Oliveira.
UMA VIDA SUBLIME de Luís Diogo. Com a sua interpretação neste filme, ganhou o prémio de melhor actor da Competição Internacional do 5º Darghanda International Film Festival, na Índia, e também o prémio de melhor actor secundário no Festival Internacional de Cine de Calzada de Calatrava (terra de nascimento de Pedro Almodóvar), estando ainda nomeado para o prémio de melhor actor secundário no Golden Film Awards, um festival internacional de cinema em Hollywood, USA.

TELEVISÃO

2013 – Os Nossos Dias (RTP)
1995 – Os Andrades (RTP)
1994 – Rua Sésamo (RTP)

CINEMA

2017 – Uma Vida Sublime, de Luís Diogo
2011 – Noite Fria em Castelo Branco, de Luís Diogo
2011 – Noite Gélida em Castelo Branco, de Luís Diogo
2009 – 1111, de Costa e Silva

VOZ

2014 – Catatua Nigel em "Rio"
2013 – Dick Dastardly em "Wacky Races"
2005 – Zebra Marty em "Madagáscar"
1992 – Génio em "Alladin"