RITA PINHEIRO

1985

A persistência é o caminho do êxito.

— Charles Chaplin

Rita Pinheiro (1985, Porto) inicia a sua carreira artística no ano 2000, no Balleteatro. É licenciada em Gestão de Marketing, realizou o Curso de Gestão e Produção de Artes do Espetáculo e atualmente, frequenta o Mestrado em Artes Cénicas, Interpretação e Direção Artística na ESMAE.

No seu percurso conta com inúmeras participações em espetáculos de teatro, teatro/musical, dança e performance, dos quais destaca “Xarxa 25”, La Fura del Baus no festival Imaginarius e “Os últimos dias da humanidade” no TNSJ.

Como actriz, foi dirigida por Nuno M.Cardoso e Nuno Carinhas, Moncho Rodrigues, Robert Merino, Lígia Roque, Nuno Nunes, José Wallenstein entre outros. No cinema, destaca as curtas-metragens “Yomi”, de Maria Ana Marques e Vasco Coimbra; “2000 Pés”, de Bruno Nacarato e André Sanjurjo e “A imitação”, de Saguenail e a longa-metragem “Porto” de Gabe Klinger. Como argumentista iniciou a sua pesquisa e escrita em 2019 das curtas-metragens de ficção 13H e CICLO.

Iniciou-se nas dobragens com o “Alvim e os Esquilos a Grande Aventura” e atualmente faz dobragens e locuções para Porto Editora, Input studio, entre outras. No seu percurso acumula também vários workshops e formações, dos quais destaca Clown, O método, Máscara Neutra e The Imagined Life. Desde 2013 que integra vários projetos musicais como cantora, sendo o projeto Rita Light ao qual se tem dedicado mais. É professora de interpretação e expressão dramática em várias instituições como o Balleteatro serviço educativo, colégios privados, AEcs e Teatro Nacional São João.

CINEMA

2018 – Yomi, de Maria Ana Marques
2016 – Porto, de Gabe Klinger
2015 – 2000 Pés, de Bruno Nacarato