MARIANA SAMPAIO

1985

Mariana Sampaio nasceu em 1985 em Viana do Castelo.

Licenciou-se em Estudos Teatrais na Universidade de Évora e frequentou o curso de Direcció escènica i Dramatúrgia no Institut del Teatre de Barcelona.
Desde 2003 tem trabalhado como atriz em teatro, cinema e televisão, professora, produtora e designado funções diversas em associações culturais, socais e ativistas em Viana do Castelo, Évora, Porto e Lisboa.

Como atriz, em teatro, foi protagonista em “As Criadas”, de Jean Genet, encenação de Ana Tamen (2005); protagonista em “A Casa de Bernarda Alba”, de Federico Garcia Lorca, encenação de Luís Varela (2007) e participou no espetáculo “O que se leva desta vida” com texto de Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues. (Teatro São Luiz, 2009).
Em digressão internacional foi o Creonte da “Antígona”encenada por Tiago Rodrigues, adaptação de Sófocles, (Festival M.I.S.T, Manchester, 2006)

Como performer e criadora criou e interpretou: Projecto Coração (Palácio D. Manuel Évora, 2007); “Parâmetros do bem-estar, Performance/conferência” (Festival Paralelo Évora, 2007). “Segura-te ao meu sofá” (Festival Escrita na Paisagem, Évora 2010); “Burn Out” (Chiado After Work’10, Lisboa, 2010); “Happening nos murais H2″(Divison Zero, Porto, 2016) , aquando da estreia do filme fez também uma performance homónima no MNAA. Protagonizou a performance “Presenças”, uma criação de Marcio Laranjeira no Museu Nacional da Arte Antiga, (MNAA, 2019) e criou e interpretou “Coração com Coração, aceitas uma canção?”, uma performance de rua intimista, (Gda, Camones Cine-Bar e Sopa da Pedra, 2021)

Como atriz, em cinema destaca trabalhos como: “Manhã de Santo António”, de João Pedro Rodrigues, (Semaine de la Critique du Festival de Cannes 2012); “Werther Effect”, realizado por Nuno Alexandre Ferreira e João Pedro Vale, co-protagonizado por Alexander David, John Romão e Mariana Tenger Barros (Festival Cineport Brasil 2014).
A longa-metragem “Uma rapariga da sua idade” de Márcio Laranjeira, da qual foi protagonista e co-argumentista (Indie Lisboa 2015; CPH:DOX-AWARD 2015, Copenhaga).
Participou no filme “Colmeal”, Marcio Laranjeira (Festival Curtas de Vila do Conde 2019). Participou na curta-metragem “Leo” de Maria Eduarda e protagonizou a curta-metragem “Desvio” de Henrique Silva. Foi protagonista do filme “Presenças” uma co-produção Márcio Laranjeira e Museu Nacional da Arte Antiga. (MNAA,2019)

Ainda em cinema ganhou o prémio de melhor atriz no ano de 2016 com o filme uma “Uma Rapariga da sua idade”. O filme foi também premiado como melhor filme. Cineuphoria (2016)

Em televisão, como actriz, participou em séries e telenovelas (RTP1, SIC, TVI). Destacando a personagem Liliana, série “Dentro” (RTP,2016)

Como produtora da estrutura Mundo Perfeito fez a produção dos espectáculos “O que se leva desta vida” (Teatro São Luiz, 2009), “Se uma janela se abrisse” (Alkantara Festival, Teatro D. Maria II, 2010), “Long Distance Hotel” (Teatro Maria Matos, 2010), “Hotel Lutécia” (Teatro Maria Matos, 2010), “Bela Adormecida” (Centro Cultural de Belém, 2010), “Influências” (Negócio ZDB, 2010.) Foi também produtora na Companhia Maior (Centro Cultural de Belém, 2011)

Como professora de teatro e improvisação, desde 2009 trabalhou na direção e organização de diversas oficinas criativas tanto para o público infantil como para o público adulto, tendo colaborado com várias escolas e associações culturais em Lisboa, Porto e Viana do Castelo.

Em 2019 e 2020 foi professora convidada da Academia de Música de Vilar do Paraíso,em Vila Nova de Gaia, onde lecionou algumas disciplinas aos alunos do primeiro, segundo e terceiro ano do curso de Teatro Musical.

Destaca ainda a criação do projeto: “Práticas de improvisação para Todxs” que iniciou no Porto (GCM, Casa Bo, 2018). No momento presente, “Práticas de improvisação para Todxs” esta dedicar-se implementar o projeto em Lisboa, (Zona Franca nos Anjos, Bus Paragem Cultural, Camones Cine Bar, GDA, 2021).

Website: https://marianasampaioactriz.wordpress.com/

TELEVISÃO

2017 – Amor Maior (SIC)
2017 – A Impostora (TVI)
2016 – Dentro (RTP)

CINEMA

2018 – Dados, de Carlos Coelho Costa
2017 – Culpem o meu irmão, de Márcio Laranjeira
2015 – Uma Rapariga da Sua Idade, de Márcio Laranjeira
2013 – Werther Effect, de Nuno Alexandre Ferreira e João Pedro Vale
2012 – Manhã de Santo António, João Pedro Rodrigues