GABRIELA RELVAS

1983

Tenho o pior sentido de orientação das pessoas que conheço. No carro, perco-me com a música, com a conversa, com a chuva. O cinza profundo das nuvens perturba-me, é-me mesmo importante. Crio-lhe uma história, penso-lhe um futuro, arranjo-lhe um raio de sol. Quando dou pelo caminho, estacionei. Não vi a esquerda e a direita. Muito menos a enorme rotunda e a avenida de 5 km. Não vi provavelmente o meu amor, que não lhe conheço ainda o cheiro. Mas não tenho medo de lá voltar ou ir de novo. Perder-me é um lugar tão comum que não me assusta. Pego no carro e vou. Pego no carro e enquanto me perco chego a horas. O tempo ensinou-me a imensidão da sua importância. Não faço esperar. Foi assim que aprendi a colocar a casa dentro de uma mala em 5 minutos. Foi assim que decidi que a fazer é bem feito. Se é para gastar tempo, não cabe em mim apresentar coisa de que não me orgulhe.

Gabriela Relvas nasceu no Porto, em 1983. Natural de Esmoriz, licenciou-se em Comunicação Social na Escola Superior de Educação de Coimbra em 2005, formação que contemplou uma passagem por 6 meses na Universidade de Ciências Aplicadas Hanze, em Groningen. Já com um pé em Lisboa para terminar o estágio em produção televisiva na Endemol Portugal, acabou por pousar o outro. Frequentou o Curso Intensivo de Formação de Atores da Associação Cultural e Teatral In Impetus e uma diversidade de workshops em teatro, cinema e televisão. Fez musicais, teatro, revista, séries televisivas, telefilmes e novelas. Projetos que passaram pelo Teatro Tivoli, Teatro Sá da Bandeira, Casino Estoril, RTP2, RTP1, SIC e TVI. Em 2008 lançou um álbum de originais de hip-hop e R&B com mais 4 vocalistas. Abraçou a comunicação como apresentadora e repórter. Apresentou programas dedicados à cultura (Beat Generation, TVI24), entretenimento (Giro, Record TV) e economia (EDP On TV). Uma salada de frutas que cedo lhe deu sumo para o guionismo e para a produção de conteúdos, postos à prova no ano de 2017, na Direção de Comunicação da EDP.

Em 2018 inverte a marcha e regressa à origem, Esmoriz, depois de mais de duas mãos cheias de anos na capital. No Porto faz pela primeira vez cinema (Sefarad), integra a primeira série de educação para a saúde em Portugal (2’ Minutos para mudar de vida, RTP1), colabora pela primeira vez com o Porto Canal (Olá Maria) e edita o primeiro livro – A Ilha da Formiga. Um livro que começou a ser escrito em 2015, quando cria o blogue A Vida em Play. É daqui que nasce a grande maioria das crónicas, contos e diálogos autobiográficos que o preenchem e percorrem os anos de 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019.

TELEVISÃO

- 2020 - Descubra a Madeira (Porto Canal)
- 2019 - 2 Minutos para mudar de vida (RTP1)
- 2015 - Giro (TV Record)
- 2014 - Mulheres de Abril (RTP1)
- 2013 - Belmonte (TVI)
- 2012 - Agora a Sério (RTP1)
- 2011 - Beat Generation (TVI)
- 2011 - Primeira Dama (TVI24)
- 2009 - Ele é Ela (TVI)
- 2009 - T2 para 3 (RTP1)
- 2008 - Rebelde Way (SIC)
- 2006 - Diário de Sofia (RTP2)

CINEMA

2019 - Sefarad, de Luís Ismael

TEATRO

- 2016 - Gangsters na Broadway (Casino Estoril)
- 2010 - Ligações (Caves do Liceu de Camões)
- 2008 - Fame, O Musical (Tivoli)
- 2007 - Footloose (Tivoli)
- 2007 - Isto é que vai uma crise (Teatro Sá da Bandeira)
- 2006 - Antígona - a Porca (Clube Estefânia)

Adriana Faria é natural do Porto.

Iniciou os seu estudos teatrais em 2005 tendo feito a licenciatura em Teatro –Interpretação pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto. Frequentou ainda o Mestrado em Comunicação Social na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Tem também o curso de Ballet Clássico até ao grau Avançado I com o método Imperial Society of Teatchers of Dancing no Centro de Dança do Porto.

Desde 2006 que trabalha profissionalmente como actriz; em teatro colaborou com companhias como Seiva Trupe: em ” Porto em Directo”, “Falha de Cálculo”, “ A Freira portuguesa” e “ Squash” com encenações de Cláudio Hochman, Bruno Schiappa, Cláudio Hochman e Júlio Cardoso(também director artístico da companhia) respectivamente; em Teatro Musical em encenações de Filipe La Féria com “ Feiticeiro de Oz”, “ Annie” e “ Grande Revista à Portuguesa”; com Mau Artista em “ R.III” uma encenação de Paulo Calatré; Café Teatro com “ O teatro é liiiiiiiindo” uma encenação de Nuno Preto.

Em 2007 “ Pensamento ADSL” texto e encenação de Nuno Preto é seleccionado e apresentado no “ Ciclo Novos Actores” no São Luiz Teatro Municipal de Lisboa.

Em teatro de improviso foi convidada para integrar 2 espectáculos dos “ Café Improv” no Teatro da Comuna e no Teatro Rápido e o seu mais recente projecto a convite de Marco Pedrosa “ Os Manos Inventores” no Lisboa Comedy Club, um espectáculo de improviso para pais e filhos.

Em televisão fez parte do elenco principal da série “ Morangos com Açúcar 9” e do elenco adicional de “ Ana e os 7” e “ Olhar da Serpente” contando ainda com participações nas novelas “ Sol de Inverno”, “ Dancing Days” e “ Mulheres”. Participou ainda nas séries para a RTP “ Mulheres de Abril” E “Dentro” de Henrique Oliveira
Em cinema fez duas curtas metragens “ Dança-me” de José Alberto Pinheiro com a personagem “Sandra” e “ Ana e a Emancipação da alma” de Manuel Pinto Barros com a personagem “ Ana”.

Desde 2006 que colabora com as “ Quintas de Leitura” no Teatro Municipal Campo Alegre – Porto, como “diseur” de poesia e performer com programação de João Gesta. Entre os poetas convidados encontram-se Rui Reininho, Manuel António Pina, António José Forte, Jorge Sousa Braga, Édouard Pons, Jorge Reis Sá, Vasco Gato, José Luís Peixoto entre outros. Participou ainda no lançamento do livro de Vasco Graça Moura “ Cinquenta Anos de Vida Literária de Vasco Graça Moura” e este ano foi a apresentadora da sessão de homenagem ao poeta integrada no âmbito da feira do livro do Porto. Fez ainda duas rubricas para o Porto Canal integradas nos programas “Porto Alive” e “Sem perder o Norte” sobre contos de Natal(escolhidos e lidos por si) e lendas( interpretadas por si) respectivamente.

Desde 2009 que escreve histórias e encena espectáculos de teatro musical para crianças alem de leccionar expressão dramática e actualmente Música e Ballet Clássico, também a crianças.

Em rádio já teve oportunidade de ler poesia para a Antena 1 no âmbito do Dia da Mãe e do Dia Mundial da Poesia.