ÂNGELA MARQUES

1968

Temos a arte para não morrer da verdade.

— Friedrich Nietzsche

Lisboa, 1968.

Curso de Interpretação da Seiva Trupe (1989), Licenciatura em Filosofia (2003) e Mestrado em Estudos Literários, Culturais e Interartes com a tese “Nathalie Sarraute, Teatro do Indizível” (2011) na FLUP. Docente em Teatro na ESMAE desde 2012.

Estreou-se como actriz, em 1989, na Seiva Trupe. Últimos espectáculos de Teatro em que participou (2017): Mulheres Móveis de Fernando Moreira (Astro Fingido), Retrato de Família (Pelicano + Tatuagem) de Strindberg e Loher/Manuel Tur (A Turma/TNSJ), Galileu de Brecht/Kuniaki Ida (Teatro do Bolhão).

Dobradora de desenhos animados desde 1992. Integrou a novela Morangos com Açúcar VI e as séries televisivas 4Play, Dentro, Mulheres de Abril (HOP/RTP). Participou nos filmes “O Princípio da Incerteza”, de Manoel de Oliveira; “Tebas”, “Na Jaula” e “Ornamento e Crime”, de Rodrigo Areias; “Sequem as Lágrimas, Ouçam a Pintura das Palavras – o Cinema segundo Manoel de Oliveira”, de João Botelho; “Os dias da casa azul”, de Cláudia Clemente; e nas curtas “Domesticada”, de Rodrigo Areias e Paulo Furtado; “A Ceia”, de Duarte Guedes; “CineSapiens”, de Edgar Pêra; e “Encontradouro”, de Afonso Pimentel.

TELEVISÃO

2018 – Jogo Duplo (TVI)
2017 – 4Play (RTP)
2016 – Dentro (RTP)
2014 – Mulheres de Abril (RTP)

CINEMA

2018 – Na Jaula, de Rodrigo Areias
2018 – Gabriel, de Nuno Bernardo
2017 – O dia em que as cartas pararam, de Cláudia Clemente
2015 – Ornamento e Crime, de Rodrigo Areias
2015 - Encontradouro, de Afonso Pimentel

VOZ

2018 – Audio Walk IRIA, de A Turma
2018 – Série La Mante (Netflix)
2017 – Jogo "Saber é Poder"