JOANA CARVALHO

Nasceu no Porto, em 1977.

Licenciada em Psicologia pela Universidade do Porto, frequentou o curso de Interpretação da ESMAE. Participou em espetáculos encenados por José Topa e Claire Bynion (Seiva Trupe), Alberto Grilli (Fábrica de Movimentos), Ricardo Alves (Palmilha Dentada), André Braga e Cláudia Figueiredo (Circolando), entre outros.

Faz desde 2001 dobragens e locuções para séries televisivas, desenhos animados e publicidade radiofónica.

Dos últimos espetáculos em que participou, destaquem-se Fly me to the moon,de Marie Jones,enc. de João Cardoso, pela Assédio;O Filho de Mil Homens, de Valter Hugo Mãe,enc. Ana Luena, pelo Teatro Bruto; Fernanda, de Ernesto Sampaio, encenação de Fernando Mora Ramos(2013);Estufas, direção de André Braga, , pela Circolando(2013) ;Eldorado(2013) criação colectiva, com direcção de Joana Moraes, pelo Musgo; A casa de Georgienne e Gostava de ter um periquito, (2011 e 2012), pelo Musgo; O outro, baseado em Friedrich Durrenmatt, encenação de Lígia Roque(2010); Casa-Abrigo e Mansarda, direção artística de André Braga e Cláudia Figueiredo;A Cidade dos Que Partem, de Ricardo Alves e Salgueirinho Maia, enc. Ricardo Alves (espetáculos coproduzidos pelo TNSJ em 2008 e 2009), e A Noite de Ravensbruck, de José Viale Moutinho, enc. José Leitão, A pedra, de M.Mayenburg, encenação de Cristina Carvalhal, produção As boas raparigas. No TNSJ, integrou os elencos de Breve Sumário da História de Deus, de Gil Vicente, enc. Nuno Carinhas (2009), Exactamente Antunes, de Jacinto Lucas Pires, enc. Cristina Carvalhal e Nuno Carinhas (2011) e Casas Pardas, adaptação de Luisa Costa Gomes, enc. Nuno Carinhas(2012).Tem também participado em projetos de histórias para crianças (Projetos Faunas e Contos de Mar).

Facebook share