DANIELA LOVE


Daniela Love nasceu em 1992 e é uma atriz formada pela Academia Contemporânea do Espectáculo (ACE).
Em teatro integrou o elenco de «Inimigos de Classe», uma encenação de João Paulo Costa (Teatro do Bolhão) e «O Maldoror está vivo!», uma encenação de Pedro Fiuza (Teatro Bruto/Fábrica Social). 

Em 2013, encenou por duas vezes leituras de textos literários: «Zona Interdita» (Colóquio Escrever nas Margens – LGBT em Portugal) e «Incendiário ou Uma coisa a menos para adorar» (III encontro do Grupo de Estudos Lusófonos na Faculdade de Letras da Universidade do Porto). Nos últimos quatro anos tem colaborado com projetos no âmbito do Teatro para escolas.

Em cinema destacam-se as curtas-metragens «Videoclube» de Ana Almeida, «2000 pés» de Bruno Nacarato, «M is for Mail» de Pedro Santasmarinas, «Inauguração» de Gonçalo Ribeiro e, mais recentemente, «Laranja Amarelo» de Pedro Augusto Almeida. 

Em televisão integrou o elenco da série da RTP «Dentro» e dos telefilmes, também para a RTP, «A rapariga da máquina de filmar» e «Offline».
Recentemente trabalhou no filme «Ramiro» de Manuel Mozos e protagonizou a longa-metragem «A Floresta das Almas Perdidas» de José Pedro Lopes.
Tem vindo também a trabalhar em publicidade e videoclips.

Fez parte de alguns projetos de performance tais como «Simulacro» de Miguel Palma (Galeria da Fundação EDP), «No hay banda» – a partir de Mulholland Drive de David Lynch (Centro Cultural Vila-Flor, Theatro Circo, Casa das Artes de Famalicão), «A Mulher é o Futuro do Homem» – «5/12: Le mort saisit le vif» ( Maus Hábitos – Espaço de Intervenção Cultural) e «Galeria Espacial», performance integrada na galeria dos artistas Miguel Palma, Luís Alegre, Elisa Pône e DirtyCop na Mostra'15 (mostra de arte contemporânea).

Facebook share